Interessante

Os cães refletem nossas emoções por meio de nosso cheiro

Os cães refletem nossas emoções por meio de nosso cheiro

Uma nova pesquisa mostrou fortes ligações entre a transmissão de emoções humanas aos cães por meio de sinais químicos. Você deve ter ouvido antes que os cães podem cheirar seu medo. Um estudo recente conduzido pelo cientista italiano Biagio D’Aniello mostra que os cães percebem e reagem ao seu estado emocional e adotam suas emoções como se fossem suas.

Para alcançar suas descobertas, a equipe de pesquisa liderada por D’Aniello pediu a um grupo de voluntários que assistisse a vídeos destinados a despertar emoções de medo, felicidade ou neutralidade. O suor do voluntário era então coletado. Essas amostras de odor foram então apresentadas a cães domésticos que tiveram seus comportamentos e batimentos cardíacos monitorados durante o encontro.

Cachorros farejam medo e ficam com medo

Os cães foram aleatoriamente designados para uma amostra de suor acompanhados por seu dono. Um estranho também estava presente na sala durante o encontro. Os cães que foram expostos ao medo tiveram uma freqüência cardíaca maior estatisticamente significativa do que os cães dos grupos felicidade e controle.

Os cães interagindo com o cheiro do medo também foram observados buscando mais garantias de seus donos e fazendo menos contato social com estranhos. Os cientistas já sabiam que os cães podem interpretar as emoções dos humanos, mas antes deste estudo, nenhuma pesquisa foi feita especificamente sobre o uso do olfato por cães. Os cães têm um sistema olfativo superior ao dos humanos, então faz sentido que usem o método para coletar informações sobre o mundo ao seu redor.

Os cães respondem ao contato visual humano

A pesquisa de D'Aniello nos mostra que o comportamento dos cães é significativamente alterado por seus donos. Mas os cães também estão nos influenciando. O estudo liderado por Juliane Kaminski, da Universidade de Portsmouth, no Reino Unido, descobriu que os rostos dos cães são mais expressivos quando os humanos os olham. A equipe de pesquisa apresentou cães a um voluntário humano que estava olhando para eles ou desviando o olhar e oferecendo comida ou não apresentando nada. Os rostos dos cães foram analisados ​​durante cada encontro.

Eles descobriram que os cães apresentavam as mais variadas expressões quando a pessoa estava olhando para eles. Eles disseram que não houve nenhuma nova expressão facial dos cães quando a comida foi dada, desfazendo o mito de que os cães tentam parecer super fofos quando tentam ser alimentados. Exatamente como os humanos respondem a essas mudanças na expressão não é conhecido com precisão.

Cachorros são família

Outra pesquisa do ano passado tentou explorar por que alguns humanos têm relacionamentos tão próximos com cães. Cientistas da Universidade de Princeton acreditam que finalmente têm a prova de que os cães são mais parecidos com uma família do que com amigos peludos. Um novo estudo descreve como as pessoas e os cães têm uma composição genética semelhante.

Acontece que compartilhamos um cromossomo semelhante com bebês de pele que dita nosso comportamento social e interação. Os pesquisadores da Universidade de Princeton estavam interessados ​​em entender como os cães domesticados possuíam a capacidade de se comunicar e socializar com os humanos quando os lobos selvagens pareciam não ter.

A equipe de pesquisa interdisciplinar usou uma combinação de pesquisa comportamental e análise genética para determinar seus resultados. O estudo comparou 18 cães domesticados e 10 lobos capturados e socializados. Ao comparar o DNA dos animais, descobriu-se que os cães tinham uma parte de um cromossomo que faltava aos lobos.

Esta seção do cromossomo contém materiais genéticos incomuns que estão relacionados ao desejo de um cão por companhia e contato humanos. Coautora do estudo, Bridgett VonHoldt explica: "Não encontramos um gene social, mas sim um componente [genético] importante que molda a personalidade animal e auxilia no processo de domesticação de um lobo selvagem em um cão domesticado". Portanto, da próxima vez que você ouvir alguém descrever seu animal de estimação como um membro da família, é melhor acreditar.


Assista o vídeo: Escondi no mato custaram me achar - PASSEIO NAS MONTANHAS (Janeiro 2022).